Search

Smartmatic

Smartmatic: académicos elogiam eleições informatizadas no Democracy Watch Forum

Manila, Filipinas, 16 de dezembro 2013.- Membros da academia e pesquisadores concordam em continuar com a aplicação de eleições informatizadas, destacando seus múltiplos benefícios para a democracia e a economia.  

Julio Teehankee, reitor da Faculdade de Artes Liberais da Universidade De La Salle disse que: “as eleições informatizadas oferecem votações mais responsáveis e transparentes”. 

Em um foro promovido pelo grupo Democracy Watch, intitulado “As eleições informatizadas nas Filipinas: ganhos e problemas por resolver” e foi realizado na Universidade de La Salle, Teehankee indicou como evidencia que uma auditoria manual randomizada das eleições do senado de 2013 teve uma precisão de 99,97%.

O Comité de Auditorias Manuais Randomizadas, integrado pela Comelec, o Conselho Paroquial Pastoral para a Votação Responsável e Escritório Nacional de Estatísticas, realizou esta auditoria contrastando as apurações manuais e automáticas de 1.016.860 votos, extraídos de 234 depósitos agrupados e selecionados ao acaso. A auditoria manual randomizada das primeiras eleições informatizadas de 2010 teve uma precisão de 99,6% 

Teehankee também disse que tanto o Consorcio de Reformas Eleitorais quanto o Grupo de Revisão de Eventos da Universidade Ateneu de Manila descreveram as eleições de 2013 como confiáveis, apesar das falhas técnicas menores, as quais ambos os grupos reconheceram que estão sendo atendidos pela Comelec.  

Ador Torneo, professor assistente profissional do Departamento de Ciências Políticas da Universidade de La Salle, apresentou partes do rascunho de um trabalho acadêmico sobre a forma em que o padrão 60-30-10 é uma consequência natural da lei dos grandes números. 

O senhor César Flores, presidente da região Ásia-Pacífico de Smartmatic International, provedor das urnas de votação usadas nas eleições nacionais de 2010 e 2013, disse que é importante que a academia pegue a iniciativa de educar o público geral sobre o que aconteceu realmente nos comícios. 

“É muito bom que pessoas com uma formação científica real estejam analisando a fundo as eleições, de modo que se confunda o público”, declarou. 
Enfatizou que uma análise mais profunda da informação indicaria que esse suposto padrão não existe. 

O Flores também reiterou que a Smartmatic é um provedor de tecnologia e que tem o respaldo pleno da companhia. No entanto, disse que pensa que “todos os tipos de auditoria devem ser realizados pelas devidas partes”.

O comissionado Luie Guia da Comissão Eleitoral filipina (Comelec) disse que estão preparados para apresentar fatos perante qualquer argumento relacionado com as eleições de 2013. “É importante que as pessoas possam aceitar que o resultado da eleição é acreditável. Por isso estamos lutando contra todo o que se fale dela”, indicou.

Guia acrescentou que voltar às eleições manuais tornaria inútil o trabalho tão forte do governo e a sociedade civil para criar: um processo eleitoral auditável, transparente e rápido.  

O foro foi organizado em cooperação com o Departamento de Ciências Políticas da Universidade de La Salle.