Search

Smartmatic

Eleições regionais Venezuela 2012: Auditorias e testes

Na Venezuela o sistema de votação é auditado antes, durante e depois de cada eleição. Para esta, as autoridades eleitorais organizaram várias avaliações do software e o hardware das urnas de votação, bem como da transmissão e a totalização de votos. Representantes técnicos de todos os partidos políticos participaram destas auditorias:

Auditoria para a certificação do software das urnas de votação (5-7 novembro) 
Durante esta auditoria do código fonte, foi verificado que o software instalado nas urnas de votação fosse o correto. Também foi certificado que o software cadastrasse, apurasse e transmitisse os votos de forma certa.  

Auditoria para a certificação do software de totalização (28-30 novembro)
Nesta auditoria, as organizações políticas revisaram o sistema de apuração, seus componentes, o código fonte e a assinatura digital.

Auditoria do sistema biométrico (29 outubro-2 novembro)
Durante essa auditoria foi verificado que não houvesse relação entre o processo de captação das impressões digitais e a sequência na qual foram cadastrados os votos, cumprindo com o mandado constitucional do sigilo do voto e o princípio de “um homem = um voto”. Esta auditoria também incluiu os módulos que constituem o sistema de votação, e a geração da assinatura digital da aplicação.

Auditoria da preparação das urnas de votação (10 novembro – 10 dezembro)
Representantes de todos os partidos políticos e técnicos do CNE verificaram que as urnas de votação fossem configuradas com o código fonte certificado na auditoria previa.

Auditoria da infraestrutura de votação (3 e 4 dezembro)
Esta auditoria fez a revisão da plataforma tecnológica das urnas de votação e sua estrutura. Uma urna de votação foi desarmada em presença dos representantes dos partidos políticos, para que seus componentes pudessem ser revisados. Assim, os presentes conseguiram ver que todos os componentes eram necessários para a votação, isto é, não continham elementos secundários ou dispensáveis que pudessem fazer tarefas não relacionadas ou requeridas pelo processo de votação. 

Auditoria de pré-envio (9 dezembro)
Totalmente reformulada, esta nova simulação emulou o processo eleitoral. O teste foi realizado uma semana depois das eleições com 1.400 votantes que usaram um grupo de urnas selecionadas de forma randomizada. 

Auditoria pós-eleitoral (28 dezembro)
Uma repetição da auditoria de encerramento, onde os representantes dos partidos políticos verificaram as urnas eleitorais e apuraram mais uma vez os comprovantes de votação ali contidos. Esses resultados foram comparados com aqueles gerados pelo software de apuração das urnas de votação e foram certificados pelos partidos políticos. 

Outras auditorias e testes:
Auditoria completa da eleição regional, ou “auditoria de verificação cidadã” (16 dezembro)