Search

Smartmatic

Curaçao – Eleições do Conselho Insular 2007: Auditorias

1. Nove dias antes das eleições, realizamos a primeira simulação de votação nos escritórios do Conselho Eleitoral. O escopo disso foi revisar todos os componentes e serviços tecnológicos da Smartmatic a serem aplicados na eleição.

Para essa demonstração, programamos duas urnas de votação com data similar à que seria usada na eleição real. Pessoal autorizado testou as urnas simulando a votação, a apuração e os processos de Auditoria pós-apuração.

2. Quando se aprontaram as 159 urnas de votação, o Conselho Eleitoral selecionou cinco ao acaso para serem submetidas a uma Auditoria completa, de ponta a ponta, seguindo o mesmo procedimento que seria realizado no dia da eleição. Para esta avaliação data oficial foi utilizada na configuração do equipamento, de forma que os auditores conseguiram analisar a plataforma tecnológica toda, de acordo com as mesmas condições que seriam aplicadas no dia das eleições, em 20 de abril de 2007. 

As cinco urnas foram avaliadas sob três diferentes condições:  
a. Máximo número de votos permitidos por urna (de acordo a cifras oficiais de cidadãos inscritos e votos autorizados).
b. Pelo menos um voto disponível para cada opção válida, e pelo menos um voto em branco por cada urna. O Conselho Eleitoral validou que todas as opções disponíveis correspondessem com o design das cédulas eleitorais.
c. Voto livre: Foi demonstrado que as diferentes opções de votação, selecionadas ao acaso até que cada opção possível fosse coberta, foram cadastradas com sucesso. 

O cadastro de todos os votos foi validado e arquivado fazendo parte da preparação para a avaliação pós-apuração do processo de transmissão e apuração. Adicionalmente, testes foram realizados para conferir a substituição de memórias removíveis, a substituição de urnas em caso de se apresentar uma falha e o plano de contingencia em caso de falha elétrica. Todos os testes deram resultados satisfatórios dentro do tempo esperado.